VOCE TEM O PODER DE MUDAR A CARA DO MUNDO!!!

...o Servo de Deus o Papa João Paulo II, de venerada memória, dizia, na sua passagem pelo Mato Grosso, que osjovens são os primeiros protagonistas do terceiro milênio [...] são vocês que vão traçar os rumos desta nova etapa da humanidade” (Discurso 16/10/1991). ... (homilia do Papa Bento XVI aos jovens no estádio do Pacaembu, 2007)

sábado, 29 de maio de 2010

Bento XVI: que o desenvolvimento seja para a humanidade

24/05/2010
Somente graças a uma correta hierarquia dos bens humanos é possível compreender que tipo de desenvolvimento deve ser promovido, disse o Papa no discurso à Fundação Centesimus Annus. O desenvolvimento integral dos povos, objetivo central do bem comum universal, é dado principalmente pelo incremento de escolhas certas, que são possíveis quando existe a noção de um bem humano integral, quando existe um telos, um fim, à luz do qual o desenvolvimento é pensado e organizado. Em uma sociedade mundial, composta por muitos povos e por religiões diferentes, o bem comum e o desenvolvimento integral são obtidos com a contribuição de todos. Excluir as religiões do âmbito público, assim como, do outro lado, o fundamentalismo religioso, impedem o encontro entre as pessoas e sua colaboração pelo progresso da humanidade. video

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Será realizado itinerário espiritual com 13 etapas


ROMA, quarta-feira, 26 de maio de 2010 (ZENIT.org).- Um itinerário de 13 etapas, desde Pentecostes 2010 até a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de Madri em 2011 (16-21 de agosto), é a proposta da Coordenação de Jovens do Fórum Internacional da Ação Católica (FIAC) aos jovens de todos os países nos quais a Ação Católica está presente, como preparação para o encontro com o Papa.

"É o momento de iniciar nossa peregrinação espiritual em preparação para a JMJ de Madri, para começar a ‘esquentar' o coração e a mente. No centro deste itinerário situam-se as orações e o acompanhamento dos santos", escreve Chiara Fionocchietti, responsável da Coordenação de Jovens do FIAC e vice-presidente nacional do Setor de Jovens da Ação Católica italiana, em uma carta enviada aos responsáveis da AC.

Cada etapa do itinerário - uma nomeação por mês - virá marcada por um versículo da Oração de preparação da JMJ e uma meditação bíblica sobre um dos evangelhos festivos do período.

Cada meditação está composta por algumas breves linhas de introdução antropológica, seguidas de uma reflexão sobre a palavra de Deus. Conclui com o testemunho de um jovem santo ou beato de Ação Católica com uma breve biografia, e algumas expressões significativas, as palavras que dedicou ao Santo Padre.

A proposta está pensada para a oração pessoal e de grupo, em nível paroquial ou diocesano. Pode ser impressa em uma folha A4, frente e verso e, consequentemente, pode ser copiada facilmente e distribuída aos amigos.

"Pode ser a ocasião - destaca Finocchietti - para se encontrar com jovens de outros grupos e compartilhar uma comum aproximação da Jornada Mundial da Juventude de Madri."

A primeira meditação, que marca o período desde domingo de Pentecostes até dia 20 de junho, "está acompanhada - conclui Finocchietti - pela figura luminosa de Pier Giorgio Frassati, padroeiro da JMJ de Sydney, que nos acompanha idealmente no itinerário entre as duas Jornadas mundiais".

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Ja tava na hora!!
É isso mesmo galera, hoje no fim da tarde foi aprovado por unanimidade o Projeto Ficha Limpa. Agora é ficar na torcida para que ele entre em vigor já na próxima eleição.

O Senado aprovou nesta quarta-feira (19) o projeto ficha limpa, que impede a candidatura de políticos condenados na Justiça em decisão colegiada em processos ainda não concluídos. Foi mantido o texto aprovado na Câmara. O projeto teve 76 votos a favor, sem votos contrários e abstenções –o presidente do Senado não votou e quatro senadores não compareceram à sessão. O projeto segue agora para a sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Fonte: http://g1.globo.com/politica/noticia/2010/05/plenario-do-senado-aprova-ficha-limpa.html

Índia: sacerdote morre tentando salvar jovens de afogamento

GOA, segunda-feira, 17 de maio de 2010 (ZENIT.org). - Um sacerdote morreu na praia de Galgibaga, Índia, tentando salvar três jovens do afogamento, na semana passada.

O Pe. Thomas Remedios Fernandes, de 37 anos, vigário da paróquia de Jesus, Maria e José, estava com um grupo da paróquia que comemorava um dia de convivência na praia, segundo informou a agência Cathnewsindia. Não hesitou em lançar-se ao mar revolto para socorrer três jovens que gritavam por socorro.

O presbítero conseguiu salvar os três - uma jovem e dois rapazes de idades entre 17 e 19 anos -, mas enquanto salvava o terceiro, sofreu um ataque cardíaco e não resistiu.

O ato comoveu as mais de 60 pessoas que testemunhavam o resgate.

O sacerdote recebeu assistência no local e foi levado ao hospital, onde os médicos constataram sua morte. Os três jovens resgatados receberam os primeiros-socorros e passam bem.

Na comunidade católica de Goa vive-se a perda do sacerdote com dor, mas também com admiração e esperança.

"Foi um pastor que deu a vida por suas ovelhas - comenta-se. Neste Ano Sacerdotal, é um exemplo e testemunho para todos os sacerdotes."

Fonte: http://www.zenit.org/article-24924?l=portuguese

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Vocação: por Frei Bruno Varriano

Frei Bruno Varriano
Frei Bruno Varriano

"Quando falamos de doação total e 'para sempre' na vida religiosa existe muito medo"

Nesta semana o portal cancaonova.com traz até você uma entrevista sobre o desafio da formação do jovens que abraçam a vida consagrada nos tempos atuais. Frei Bruno Varriano, responsável pelas vocações franciscanas na Terra Santa, psicoterapeuta, atuante na formação inicial dos jovens que sentem o chamado ao carisma franciscano, esteve recentemente visitando as instalações da Comunidade Canção Nova e falou conosco sobre este tema.


Escute na integra a reportagem

cancaonova.com: Como descobrir uma vocação tão específica como a da vida consagrada?


Frei Bruno: Bem, para falar de consagração nós precisamos falar de tipos de corações. Todos nós somos amados por Deus, temos vocação à vida e a ser cristãos, mas o tipo de coração, o modo de responder a este amor é que se torna diferente.

Quando um jovem sente no coração um desejo de plenitude que não encontra em outro lugar, ele encontra em Deus, num modo de vida totalmente consagrado, um modo de vida de entrega e doação aos outros. Isso não quer dizer que os outros modos de vida não sejam de entrega ao Senhor, mas quando o jovem sente essa inquietação de entrega total, já é uma pergunta para iniciar o processo de discernimento vocacional.


cancaonova.com: E neste mundo pós-moderno, quais os desafios de formar os jovens que responderam a esta inquietação e que agora se encontram num modo de vida de princípios e regras próprios da vida religiosa?


Frei Bruno: Penso que o primeiro desafio é justamente o próprio jovem que vem de uma sociedade relativista, uma sociedade no qual o amor ágape (que é o amor-doação) não é tanto valorizado, os jovens já não vêm com uma integridade, não sabem regular o tempo; por exemplo, chegam à vida religiosa na qual existe tempo para tudo: tempo para oração, tempo para a vida comunitária, tempo para os estudos, para a formação, para o trabalho manual, por essa razão, saber regular o tempo é um dos desafios. As regras não são para oprimir, mas sim, para ajudar o religioso a viver a sua vida concretamente. Eu penso que isso seja uma das coisas mais difíceis para os jovens de hoje. Na minha casa de formação na Itália, por exemplo, os jovens têm 30 minutos para usar a internet, ou seja, em 30 minutos eles têm de pensar em tudo o que vão escrever num e-mail, etc., mas quando chegam, a realidade em que viviam era de ficar 6 a 7 horas por dia conectados na rede mundial de computadores e até tarde da noite. Então, os jovens devem se adequar a esta nova realidade de vida religiosa, de regulação do tempo, de uma vida comunitária, que é o maior desafio para eles no dia de hoje.

"Ser franciscano na Terra Santa é uma vocação na vocação"
Foto: Wesley Almeida


cancaonova.com: O senhor é o responsável de receber estes jovens que não aprenderam a administrar o tempo, que não aprenderam a fazer bem cada coisa. Qual a forma que é usada para fazer com que eles entrem na pedagogia da vida consagrada?


Frei Bruno: A primeira coisa é que este jovem se sinta acolhido e amado. Esta é a pedagogia: que ele se sinta acolhido, esperado e escolhido por Deus, mas também por nós (formadores); é uma atenção especial. A partir daí se inicia um caminho de confiança, ou seja, eu confio neste jovem que chegou – e este é um trabalho que eu devo fazer comigo mesmo. Eu digo aos jovens que chegam para ser em um "frade menos" porque o “frade menor” já está dentro deles, o que nós formadores temos de fazer é deixar o ambiente equilibrado, graduado, - e aí é preciso muita paciência de nossa parte – dessa forma vamos acompanhando o formando e a cada quinze dias há um atendimento pessoal para ver como ele está caminhando, pois o formador pode ter mil coisas a fazer, mas a atenção ao formando é a coisa mais importante, ou seja, depois de Deus, da vida de oração, o formando é a prioridade da minha vida. É dessa forma que eles se sentem escolhidos e acolhidos: quando o formador tem tempo para eles, porque muitos destes jovens não tiveram esta atenção em suas famílias, o pai e a mãe não tinham tempo para eles. Depois, a grande comunidade é chamada a envolvê-lo, dando a ele uma responsabilidade, como cuidar da sacristia, cuidar do acolhimento dos hóspedes, para que se sintam em família. Dessa forma já vão sendo formados e passam para outra etapa formativa de forma mais tranquila.


cancaonova.com: O jovem de hoje apresenta certa dificuldade em assumir compromissos definitivos. Em sua opinião qual a raiz disso?

Frei Bruno: Hoje o mundo vive a mentalidade do “descartável”, tudo é descartável, dessa forma a ideia do "para sempre" causa muito medo, ou seja, é uma mentalidade de que as coisas durarão pouco e este pensamento chega ao convento e à vida religiosa. Quando falamos de doação total e para sempre existe muito medo. Eu penso que essa mentalidade é fruto de uma sociedade consumista, a sociedade do descartável, na qual as pessoas vivem como voluntárias, ou seja, se doam por pouco tempo. No entanto, o mundo não pode viver de modo descartável, a família, por exemplo, depende de algo duradouro, até mesmo para a saúde mental dos filhos. E também a Igreja precisa de “pais” em plenitude e para sempre. Na vida religiosa não devemos ter medo da palavra "para sempre". Não é que com isso vamos "abaixar a montanha", mas vamos ajudar a subi-la. Não significa abaixar os valores da vida religiosa, porque o valor da vida religiosa é o compromisso para sempre.


cancaonova.com: Como é o trabalho dos franciscanos na Terra Santa?

Frei Bruno: O trabalho dos franciscanos é inter-religioso, com os muçulmanos e judeus, com a custódia dos lugares santos, são 56 santuários que os franciscanos precisam zelar, preparar hóstias para as celebrações, guiar os peregrinos que vão à Terra Santa; temos também os trabalhos com os pobres. E quem quer ser missionário na Terra de Jesus precisa ter esta abertura missionária, porque são apenas 2% de cristãos, e estes 2% precisam ser bem cuidados pelos frades.


cancaonova.com: O jovem que agora acompanha esta entrevista e sente o chamado de ser franciscano na Terra Santa, quais os passos que ele precisa dar tomar para esta vocação?

Frei Bruno: Primeiro, ele deve viver uma autêntica vida cristã na sua paróquia, porque o essencial e que vem em primeiro lugar é uma vida com Cristo. Depois ele deve ter um contato conosco, por e-mail, por carta, por telefone, e neste tempo eu tento visitar, durante um ano, grupos que já tenham sido formados, e depois ele precisa fazer uma experiência com a vida comunitária, é o “Vinde e vede” como nós vivemos, o concreto da nossa vida. É interessante dizer que ser franciscano na Terra Santa é uma vocação na vocação, pois São Francisco, quando escreveu num dos parágrafos da regra franciscana sobre a Terra Santa, disse que nós seríamos como “ovelhas no meio de lobos” e nós sabemos que a ovelha não se defende, ela é humilde. Francisco não queria que os frades fizessem discussões de religião, é um “silentio operandi”: um silêncio operador, aquele que testemunha com a vida. Isso é algo muito belo e eu o comparo ao deserto. O deserto de Judá, por exemplo, é muito belo, mas, ao meio-dia, fica nele só quem o ama, pois há pessoas que o acham bonito, mas não conseguem suportar o calor do meio-dia. Na Terra Santa, quando todos os peregrinos vão embora do lindo deserto, os frades ficam no "deserto" da solidão, de estar longe da família, no "deserto" de aprender outra língua e se há um momento de guerra os peregrinos vão logo embora, mas os franciscanos ficam num santuário dois, três, seis meses, ou até um ano, até que a guerra termine e os peregrinos voltem. Então, para ser missionário na Terra Santa é preciso passar a amar o "deserto".

Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/entrevista/entrevistas.php?id=982

domingo, 16 de maio de 2010

Celebração em apoio ao Papa!

Acabo de chegar da missa na Igreja da Sé que teve como intenção estar junto com o Papa, testemunhar ao mundo que somos membros da Igreja e que na alegria e no sofrimento estamos e estaremos sempre unidos ao Papa Bento XVI, sinal vivo de Cristo em nossa vida. Celebramos junto com nosso arcebispo, Dom Orani, a missa neste domingo da Ascensão do Senhor e esteve presentes pessoas de todos os carismas de nossa igreja.

Este dia realmente foi um grande dia de testemunho da unidade da Igreja, em especial por nossa Arquidiocese.

No final da missa tivemos a inauguração do novo site da Radio Catedral e para ajudar na divulgação colocamos em nosso Blog o lik de acesso para que todos que por aqui passam possam também visitar o site da radio catedral.

Nos próximos dias desta semana colocarei mais noticias sobre esse dia. Inclusive fotos desta celebração.

Um ótima semana a todos!!!

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Mais de 20 mil Jovens europeus do Caminho Neocatecumenal acompanham Bento XVI em sua viagem Apostólica a Fátima



Bento XVI se encontra em plena viagem Apostólica a Portugal com motivo do décimo aniversário da beatificação dos pastores de Fátima.

De toda a Europa, fizeram peregrinações ao país em uma missão com mais de 20 mil jovens neocatecumenos para acompanhar o Papa e tornar presente a nova evengelização. Os jovens desta iniciação cristã de adultos que participaram na missa que Bento XVI celebrou dia 13 de maio na Esplanada do Santuário de Fátima. No dia 15 o Papa abençoou a primeira pedra do novo Seminário Redemptoris Mater Santa Teresa do Menino Jesus na missa que presidiu na cidade do Porto. Os Seminários Redemptoris Mater são diocesanos, missionários e internacionais e nele se formam jovens pertencentes a esta realidade eclesial.
No mesmo dia a tarde, os jovens assistiram ao encontro vocacional que foi na esplanada do Santuário de Fátima com os iniciadores do Caminho Neocatecumenal, Kiko Arguello , Carmen Hernández e Pe. Mario Pezzi. O encontro foi presidido pelo Patriarca de Lisboa, o Cardeal José da Cruz Policarpo. Paticiparam vários Bispos do país. No encontro, teve um chamado vocacional para o sarcedócio e para a vida consagrada.

Deste modo, os jovens peregrinos querem também mostrar sua proximidade e apoio ao Papa, que é sua 15º viagem apostólica.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Palesta sobre litugia com Dom Piero Marini

Na tarde do dia 11 de maio, na sede da Arquidiocese, o mestre das celebrações litúrgicas do Papa João Paulo II e doutor em Liturgia, Dom Piero Marini, falou sobre Presidência da Liturgia. Para um auditório lotado, Dom Marini destacou a importância de viver com o coração o momento litúrgico. Participaram da mesa o Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, Cônego Antonio José de Moraes e o Bispo Auxiliar Emérito Dom Karl Romer.

Dom Orani, que está em Brasília participando da 48º Assembléia Geral dos Bispos (AG), retornou rapidamente ao Rio para receber Dom Marini. O Arcebispo disse que essa palestra faz parte de uma formação permanente, o que é sempre importante. Ainda mais quando se trata do tema "liturgia" que, segundo Dom Orani, é essencial na caminhada como Igreja.

- Eu creio que nós devíamos nos habituar a ter, uma vez por mês, reflexões sobre liturgia, pastoral, trabalhos dogmáticos, enfim, termos a oportunidade de estar em contato com pessoas importantes na Igreja, para colocar essas reflexões. É um passo inicial que foi dado e deve despertar outros interesses para a nossa Arquidiocese, desejou o Arcebispo.

Ainda antes da apresentação de Dom Marini, o Cônego Antonio José de Moraes, enquanto Presidente da Comissão de Liturgia da Arquidiocese do Rio de Janeiro, apresentou os outros nomes para os presentes. Fazem parte da comissão: Monsenhor Elias, Padre José Gomes Moraes, Padre Célio Calixto, Padre Cristiano Holtz, Diácono Cesar Bahia e a Professora Maria de Lourdes Correia.

O Cônego Antonio de Moraes estava muito satisfeito com a oportunidade de ouvir Dom Marini, que, de acordo com ele, é um homem que sempre viveu à frente da liturgia, não só como maestro e professor, mas também como servidor e ministro.

- Para nós, sacerdotes, tanto do sacerdócio ministerial pelo Sacramento da Ordem quanto para o sacerdócio real pelo Batismo, é importante redescobrir sempre que a liturgia é a celebração do memorial da morte e ressurreição do nosso senhor Jesus Cristo, fonte permanente de toda a nossa fé, de toda a nossa esperança e motivação para a nossa vida de amor e caridade, disse Cônego Moraes.


Dom Marini iniciou falando que o tema se refere principalmente aos sacerdotes, mas também aos leigos que participam da celebração litúrgica, pois, na celebração, cada um cumpre sua missão. Dom Marini destacou que os sacerdotes têm que ajudar o povo de Deus a participar da liturgia e apresentar para a assembleia a pessoa de Cristo como Pastor que guia seu rebanho.

- O sacerdote que preside a assembleia reunida deve servir a Deus e ao povo com dignidade e humildade, e, no modo de comportar-se e de pronunciar as palavras divinas, deve fazer sentir aos fieis a presença viva de Cristo

Já aos fieis, Dom Marini disse que é importante que participem ativamente da celebração, como foi determinado no Concilio Vaticano II, porque, sendo sacerdotes ou fieis, o importante é participar para Cristo.

- Como povo sacerdotal todos têm o direito de participar da liturgia e atuar na liturgia, não somente assistir, mas participar de modo ativo. Isso significa com o corpo e a inteligência, e participar também com piedade, com o coração e com os sentimentos, disse Dom Marini.

Ele explicou que presidir significa relação e diálogo. Implica, portanto, na comunidade como ponto de referência, comunidade composta por colaboradores, como os leitores, os acólitos, os coroinhas, os cantores.

- Do ‘eu’ do presbítero ao ‘nós’ da Igreja, esta é a ação formativa da liturgia, que torna o presbítero capaz de presidir a oração da Igreja. Ao presbítero, portanto, não é pedido só que seja um homem de oração: isto é pedido a todo cristão. Ao presbítero se pede também que seja capaz de presidir a oração da Igreja, que seja servo da Ecclesia orans. Isto não significa simplesmente “fazer rezar” uma assembleia, mas conduzir a assembleia à oração através da oração da Igreja”.

Fonte: http://www.arquidiocese.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=3415&query=simple&search_by_authorname=all&search_by_field=tax&search_by_keywords=any&search_by_priority=all&search_by_section=all&search_by_state=all&search_text_options=all&sid=39&text=palestra+de+liturgia&x=0&y=0

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Um belo momento de alegria e comunhão

Os formadores e seminaristas do Seminário Missionário Arquidiocesano Redemptoris Mater tiveram um almoço com vários Bispos que estão em Brasília em função da 48ª Assembléia Geral da CNBB. Dentre os Bispos que compareceram ao almoço destaco a presença de D. Orani João Tempesta que é o Arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro e D. Vicente Costa que esse ano deixou a Diocese de Umuarama para tomar posse como Bispo na Diocese de Jundiaí.

Um verdadeiro e grande momento de alegria e comunhão.

Esteve presente também no almoço a equipe que leva adiante as comunidades do Caminho Neocatecumenal do Brasil.










Fonte das imagens: http://www.rmater.org.br/galeria.php?id_noticia=700

Papa: “A Eucaristia é o coração do Brasil”

"Dirijo uma saudação especial ao povo brasileiro que vai se reunir na sua capital, Brasília, para celebrar o XVI Congresso Eucarístico Nacional, de quinta-feira a domingo próximos, com a presença do meu Enviado especial, o Cardeal Dom Cláudio Hummes. No lema do Congresso, aparecem as palavras dos discípulos de Emaús “Fica conosco, Senhor”, expressão do desejo que palpita no coração de todo ser humano. Possais todos vós, pastores e povo fiel, redescobrir que o coração do Brasil é a Eucaristia. É justamente no Santíssimo Sacramento do Altar que Jesus mostra a sua vontade de estar conosco, de viver em nós, de doar-se a nós. A sua adoração leva-nos a reconhecer o primado de Deus, pois só Ele pode transformar o coração dos homens, levando-os à união com Cristo num só Corpo. De fato, ao receber o Corpo do Senhor ressuscitado, experimentamos a comunhão com um Amor que não podemos guardar para nós mesmos: este exige ser comunicado aos demais para assim poder construir uma sociedade mais justa. Por fim, estando próximo o encerramento do Ano sacerdotal, convido todos os sacerdotes a cultivarem uma espiritualidade profundamente eucarística a exemplo do Santo Cura D’Ars que, buscando unir o seu sacrifício pessoal àquele de Cristo atualizado no Altar, exclamava: «Como faz bem um padre oferecer-se em sacrifício a Deus todas as manhãs!». E enquanto invoco, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, as maiores graças do céu para que alimentados pela Eucaristia, pão da Unidade, se tornem verdadeiros Discípulos Missionários, a todos concedo benevolente Bênção Apostólica".
video

TEM EVENTO AI GENTE !!!


TODOS ESTAO CONVIDADOS .. VENDA DE INGRESSO SOMENTE ANTECIPADA
Qualquer interesse me liguem ou mande um email. rafaelniteroirugby@gmail.com

domingo, 9 de maio de 2010

A Virgem Maria

Neste dia especial, dia das Mães, excertos do São João Maria Vianney sobre a Virgem Maria nossa mãe

A Santa Virgem é essa bela criatura que nunca desagradou ao bom Deus.

O Pai adora contemplar o coração da Santíssima Virgem Maria, como a obra-prima de suas mãos.

Jesus Cristo, depois de ter-nos dado tudo o que nos podia dar, quis ainda fazer-nos herdeiros do que tem de mais precioso, sua Santa Mãe.

A Santa Virgem nos gerou duas vezes: na encarnação e aos pés da Cruz; logo, é nossa Mãe duas vezes.

Não entramos numa casa sem falar com o porteiro! Pois bem: a Santa Virgem é a porteira do Céu!

A ave-maria é uma oração que não cansa nunca.

Tudo o que o Filho pede ao Pai lhe é concedido. Tudo o que a Mãe pede ao Filho também lhe é deferido.

O meio mais seguro de conhecer a vontade de Deus é rezar a nossa boa Mãe.

Quando nossas mãos tocaram um aroma, perfumam tudo o que tocam. Façamos nossas orações passarem pelas mãos da Santa Virgem: ela as perfumará.

Creio que, no fim do mundo, a Santa Virgem ficará muito tranquila, mas, enquanto durar o mundo, ela é puxada de todos os lados...

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Papa destaca valor da música no processo educacional do indivíduo

Em um concerto de homenagem do presidente italiano ao Papa e aos sacerdotes
CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 5 de maio de 2010 (ZENIT.org).- Bento XVI realçou o elevado valor do estudo da música no complexo processo educacional do indivíduo.

Ele o fez no último dia 29, após o concerto de homenagem que o presidente da República Italiana, Giorgio Napolitano, ofereceu ao Papa e aos sacerdotes na Sala Pablo VI do Vaticano, em razão do quinto aniversário de sua eleição como pontífice.

“O estudo da música tem um elevado valor no processo educacional do indivíduo, uma vez que produz efeitos positivos no seu desenvolvimento, favorecendo o crescimento humano e espiritual", assegurou o Pontífice.

O Papa reconheceu que "no atual contexto social, qualquer trabalho de educação parece ficar sempre mais árduo e mais problemático".

"Frequentemente, entre pais e professores, é falado das dificuldades que encontram na hora de transmitir às novas gerações os valores básicos da existência e de um comportamento correto", explicou.

"Esta situação problemática interessa tanto à escola como à família e às diversas instituições destinadas à formação", continuou.

Como resposta, "a música pode abrir as mentes e os corações à dimensão do espírito e conduzir as pessoas a elevar o olhar para as alturas, a abrir-se ao bem e à beleza absolutos, cuja fonte suprema é Deus", disse o Papa.

"A alegria do canto e da música é também um convite constante para os crentes e os homens de boa vontade a comprometerem-se a dar para à humanidade um futuro repleto de esperança", afirmou.

Por outro lado, continuou Bento XVI, "a obrigação de não tocar sozinho, mas de compor as diversas cores da orquestra, e ainda mantendo suas próprias características, se fundirem" e "a procura comum da melhor expressão, tudo isso constitui um exercício formidável, não só no âmbito artístico e profissional, mas no âmbito humano em geral".

Em seu discurso, o Papa destacou que "os jovens, embora vivam em contextos diversos, compartilham a sensibilidade dos grandes ideais da vida, mas encontram muitas dificuldades para vivê-los”.

"Não podemos ignorar suas necessidades e expectativas, nem tampouco os obstáculos e ameaças que encontram", notou.

De acordo com Bento XVI, os jovens "sentem a necessidade de se aproximar dos valores autênticos como o caráter central da pessoa, a dignidade humana, a paz, a justiça, a tolerância e a solidariedade".

"Eles também procuram, às vezes de forma confusa e contraditória, a espiritualidade e a transcendência para encontrar equilíbrio e harmonia", acrescentou.

O Santo Padre valorizou a longa experiência da Escola de Música de Fiesole, cuja orquestra interpretou obras de Giovanni Battista Sammartini, Wolfgang Amadeus Mozart e Ludwig van Beethoven e agradeceu pelo concerto a Napolitano.

Concluiu o discurso pedindo a todos que rezassem por ele, de forma que, "no começo do sexto ano de pontificado, eu possa cumprir sempre meu ministério segundo a vontade do Senhor".

Por sua vez, o presidente italiano realçou que este concerto foi como um "oferecimento de serenidade" em um contexto nada "fácil" e até mesmo "áspero", em uma conversa que teve com os assistentes antes do concerto.

Napolitano disse acompanhar com "discrição" e "respeito" o modo como o Papa exercita sua "elevada missão" diariamente.

E afirmou que o concerto é a expressão de sua “proximidade intensa e afetuosa" e de todo o povo italiano.

O presidente também mostrou sua "consideração" pela contribuição na "busca pelo bem e pela concórdia" e o compromisso “espiritual e social dos sacerdotes que trabalham na Itália".

Também enfatizou a preocupação do Papa pelo progresso da Itália e pelas dificuldades e crises "sem solução", como a do "processo de paz" no Oriente Médio.

Antes do concerto, o Papa e o presidente Napolitano tiveram um encontro "em um clima de grande cordialidade", informou a presidência da República Italiana.

Eles abordaram "os principais questionamentos da atualidade internacional" e detiveram-se especialmente nas questões sobre o Oriente Médio.

O Papa evocou a Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para o Oriente Médio, que acontecerá no Vaticano de 10 a 24 de Outubro de 2010.

Napolitano ofereceu ao Papa a nova edição em italiano do “Tratado do futuro Papa Piccolomini sobre a Europa” (Europa, 1453), como mostra de seu apreço pelos esforços do Papa “de fazer progredir uma visão correta da Europa."


Fonte: http://www.zenit.org/article-24792?l=portuguese

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Como se preparar para o DMJ 2011

Os Dias Mundias da Juventude são jornadas de esperança, de esperança para o mundo, para o mundo inteiro.


Graças aos Dias Mundiais da Juventude, a Igreja, como nos ensinava João Paulo II, reencontra sua face jovem. Redescobre a sua juventude.


Preparar-se para os DMJ consiste justamente nisto: descobrir ou redescobrir aquilo que para o nosso ser cristão é fundamental, ou seja, Jesus Cristo.


João Paulo II muitas vezes nos recordava: “O Papa não é importante. O que é importante é Jesus Cristo. É sobretudo a Ele que esses jovens buscam. O papa é somente a guia que os conduz a este encontro importante.

Fonte: http://www.h2onews.org/portugues/1-Entrevistas/224444191-como-se-preparar-para-o-dmj-2011.html

video

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Papa encoraja os jovens a “viver, não vegetar”


No encontro para a JMJ de Madri que se realizará em 2011

TURIM, domingo, 2 de maio de 2010 (ZENIT.org). – Apesar do tempo chuvoso, Bento XVI teve um encontro festivo com jovens da cidade de Turim e de outras dioceses do Piemonte, no qual os encorajou a viverem com coragem e comprometimento com escolhas definitivas.

“Sejam testemunhas de Cristo nestes nossos tempos!”, disse aos jovens reunidos na praça San Carlo.

Por duas horas, antes do encontro, a praça foi animada por música e por intervenções por parte dos jovens. Estava presente o grande coral Hope, formado por 270 jovens, além de diversos artistas de várias partes do mundo.

“Que o santo Sudário” – continuou o Papa refletindo sobre a relíquia cuja ostensão se realiza nestes dias em Turim – “seja de um modo particular para vocês um convite a imprimir em seu espírito a face do amor de Deus, para que vocês mesmos sejam, em seus ambientes, uma expressão do rosto de Cristo”.

Durante o encontro os jovens cantaram o hino “Santo Rosto dos Rostos”, composto especialmente para a ocasião.

“Desejo de coração que este evento extraordinário, ao qual espero que muitos compareçam, contribua para que cresça em cada de um de vocês o entusiasmo e fidelidade em seguir a Cristo, e em acolher com alegria sua mensagem, fonte de vida nova”, disse o Papa.

Bento XVI indicou como exemplo um jovem da própria cidade de Turim: Piergiorgio Frassati, membro da Ação Católica, filho do fundador do jornal “La Stampa”, que aderiu ao Apostolado da Oração, promovido pela Congregação Mariana e pela Adoração Noturna.

Para se aproximar dos trabalhadores das minas, Frassati decidiu estudar Engenharia de Minas na Escola Politécnica de Turim. Pouco antes de se formar, porém, veio a falecer, vítima da poliomielite, aos 24 anos, em 1925. Foi beatificado por João Paulo II em 20 de maio de 1990.

“Sua existência foi inteiramente envolvida pela graça e pelo amor de Deus, e foi consumada, com serenidade e alegria, no serviço apaixonado a Cristo e aos irmãos”, lembrou o Pontífice.

“Jovem como vocês, viveu com grande empenho sua formação cristã e deu testemunho de sua fé de modo simples e eficaz”.

À luz desse testemunho, o Papa encorajou os rapazes e as meninas presentes no encontro a terem “coragem de escolher aquilo que é de fato essencial para a vida”.

“Viver, não vegetar”, dizia o beato Piergiorgio Frassati.

“Descubram, como ele descobriu, que vale a pena se empenhar por Deus e com Deus, respondendo ao seu chamado na escolhas fundamentais e cotidianas, ainda que tenha um custo!”, concluiu o Santo Padre.


Fonte: http://www.zenit.org/article-24765?l=portuguese

domingo, 2 de maio de 2010

Papa: As renúncias são possíveis se têm um significado

Jovem: Jesus convidou o jovem rico a deixar tudo e a segui-lo, mas ele foi embora triste. Também eu, como ele, tenho dificuldades em segui-lo, porque tenho medo de deixar as minhas coisas e, às vezes, a Igreja me pede renúncias difíceis. Padre santo, como posso encontrar a força para escolhas corajosas, e quem pode me ajudar?

video

Papa: Comecemos talvez com essa palavra dura para nós: renúncias. As renúncias são possíveis e no final se tornam inclusive belas se têm um porquê, e se esse porquê justifica depois também a dificuldade da renúncia. São Paulo usou neste contexto a imagem das olimpíadas e dos atletas empenhados com as olimpíadas. Diz a eles que para se chegar finalmente à medalha, naquele tempo a coroa, devem viver uma disciplina muito dura, devem renunciar a muitas coisas, devem realmente exercitar esse esporte que praticam. Fazem grandes sacrifícios e renúncias porque têm um porquê, vale a pena mesmo que talvez, no final, não estejam entre os vencedores. Todavia, é algo belo ter disciplinado a si mesmo e ser capaz de fazer essas coisas com uma certa perfeição. E o mesmo vale com essa imagem de São Paulo para as olimpíadas, vale também para todos os outros aspectos da vida. Não posso alcançar uma boa vida profissional sem renúncias, sem uma preparação adequada, que sempre exige disciplina, exige que devo renunciar a algo. E assim também na arte, em todos os elementos da vida, nós compreendemos que para alcançar um objetivo profissional, seja esportivo, seja artístico, cultural, devemos renunciar, aprender, aprender a arte de viver, de ser si mesmo. A arte de ser um homem exige renúncias verdadeiras, que nos ajudam a encontrar a estrada da vida, a arte da vida indicadas na palavra de Deus, e nos ajudam a não cair, digamos, no abismo da droga, do álcool, da escravidão da sexualidade, da escravidão do dinheiro, da preguiça. Todas essas ações, em um primeiro momento, aparecem como ações de liberdade, mas na realidade não são ações de liberdade, mas o início de uma escravidão que se torna sempre mais insuperável. E superar essas renúncias à tentação do momento, prosseguir em direção ao bem, cria a verdadeira liberdade e torna a vida preciosa.

FONTE:

(notícia) http://www.h2onews.org/portugues/1-Papa/224443350-papa-as-renuncias-sao-possiveis-se-tem-um-significado.html

(vídeo) http://it.gloria.tv/?media=62419

sábado, 1 de maio de 2010

Pesquisas com células-tronco: cardeal Martino explica posição do Vaticano




“Com células-tronco adultas ninguém é assassinado”



CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 29 de abril de 2010 (ZENIT.org). –

É lícita a pesquisa científica com células-tronco adultas? Porque o Vaticano tem apoiado tais pesquisas? O presidente emérito do Conselho Pontifício Justiça e Paz, cardeal Renato Martino, respondeu a perguntas como estas em uma entrevista transmitida pela Rádio Vaticana, logo após a Universidade de Maryland, nos EUA, anunciar a decisão da Santa Sé de doar milhões de dólares para pesquisas deste tipo.

“A Igreja quer contribuir para o progresso da ciência, mas sempre tendo em vista a defesa da vida dos doentes e evitando o emprego de células-tronco embrionárias nas pesquisas”, declarou o purpurado.

As células-tronco – também conhecidas como células-mãe – possuem a capacidade de se transformar em qualquer tipo de célula, incluindo células de tecidos cerebrais, cardíacos, de músculos, da pele e de outros órgãos.

Tais células são encontradas no cordão umbilical, na placenta, na medula óssea, nos intestinos e nos embriões. Várias clínicas de maternidade já oferecem o serviço de congelar amostras do cordão umbilical da placenta de recém-nascidos a fim de conservar células-tronco caso venham a ser necessárias em tratamentos no futuro – tanto do próprio bebê como também, em alguns casos, de seus pais ou irmãos.

O problema é quando as pesquisas se baseiam nas células-tronco extraídas de embriões jovens – nos quais estão também presentes em grandes quantidades.“Quando se utiliza um embrião para obter células-tronco, o restante do embrião é eliminado, e uma vida humana é destruída”, enfatizou o cardeal.

“Ao contrário, quando células-tronco adultas são usadas, não se assassina ninguém!”, acrescentou.

“Esta iniciativa propõe a extração de células-tronco adultas do intestino do paciente, para tratar doenças com o Alzheimer”, disse o purpurado.

A reunião de organização foi realizada no hospital do Menino Jesus de Roma – que pertence ao Vaticano – e que colocou à disposição seus próprios laboratórios para os estudos.

O cardeal afirmou que “a primeira contribuição da Igreja católica a tais pesquisas será oferecer um local onde poderão ser realizadas”.

Recentemente, o porta-voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi S.J., disse que “sempre se reconheceu como legítimos a pesquisa científica e o uso clínico de células-tronco provenientes de tecidos adultos” – como ocorre neste caso. “A distinção entre células-tronco adultas e embrionárias é fundamental sob o ponto de vista ético”.

Fonte: http://www.zenit.org/article-24741?l=portuguese